HOME_______________________________________________

437 mil pessoas foram assassinadas

Em todo o mundo, pelo menos 437 mil pessoas foram assassinadas em 2012. A informação, divulgada nesta semana, é do Estudo Global sobre Homicídios 2013, feito pelo Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC). “Há uma necessidade urgente de entender como o crime violento está afligindo os países em todo o mundo, afetando particularmente os homens jovens, mas também causando grandes danos às mulheres”, disse o Diretor de Análise de Políticas e Assuntos Públicos, Jean-Luc Lemahieu.

De acordo com a pesquisa, cerca de 80% das vítimas de homicídio e 95% dos autores desse crime são homens. Quase 15% de todos os homicídios resultam de violência doméstica (63,6 mil). No entanto, quase 70% de vítimas mortais de violência doméstica são mulheres (43,6 mil).

Segundo a ONU, mais da metade das vítimas de homicídios têm menos de 30 anos de idade, com crianças menores de 15 anos de idade representando pouco mais de 8% de todos os homicídios (36 mil).

Discrepância – Uma análise feita pela ONU é que quase 750 milhões de pessoas vivem em países com as maiores taxas de homicídio do mundo (América e a África). Isso significa que quase metade de todos os homicídios ocorre em países que são lar de apenas 11% da população da Terra. Por outro lado, três bilhões de pessoas – principalmente na Europa, Ásia e Oceania – vivem em países onde as taxas de homicídios são relativamente baixas.

Crime organizado – Os homicídios ligados a gangues e grupos criminosos organizados representam 30% de todos os homicídios na América, em comparação com menos de 1% na Ásia, Europa e Oceania.

Impunidade – A taxa de condenação global para homicídio doloso é de 43 condenações por 100 homicídios. No entanto, há disparidades entre as regiões, com uma taxa de condenação de 24% na América, 48% na Ásia e 81% na Europa.
Agência Brasil

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja online a situação da Pandemia

^ Ir Para Topo ^