DestaquesManchetes

Assembleia debate direitos trabalhistas e promove caminhada

Como parte das atividades da Paralisação Nacional do dia 25 de novembro, o Sintab aderiu à convocação, porém conscientizando sua base de atuação em Campina Grande em uma Assembleia Geral com todas as categorias de servidores municipais, realizada na tarde da sexta-feira na AABB, a respeito das perspectivas e desafios para os próximos atos. Com a presença de toda a diretoria do Sintab, a assembleia concluiu com uma passeata pelo centro da cidade até à Praça da Bandeira, onde se uniu às outras centrais sindicais.

Nazito Pereira, presidente do Sintab, falou para a categoria dos docentes a respeito das greves e reposição de aulas. “Respeitaremos os acordos que os professores individualmente estejam fazendo”, afirmou Pereira. O assunto está na justiça após a inspetoria ingressar com ação no Ministério Público, solicitando o cumprimento dos 200 dias de aula. Em reunião com a secretária de educação Iolanda Barbosa, a mesma lembrou que essa decisão não está mais em sua alçada, visto que em decisão de Assembleia, ficou condicionado a reposição das aulas ao pagamento do retroativo de quatro meses pendentes.

O vice-presidente do Sintab Giovanni Freire relatou à todos a viajem que a Comitiva do Sintab realizou para Brasília, unido com toda a categoria nacional, com o objetivo de tentar derrubar o veto 40 da PLC 210, que põe em risco direitos trabalhistas e o futuro da categoria. “Esse governo não tem a mínima pretensão e o compromisso com a saúde pública”, finalizou Freire.

Joselito Dias, diretor do Sintab, representante da categoria de infraestrutura relatou sobre a demanda das merendeiras e auxiliar de serviços gerais, sobre o problema de recarga no vale transporte. O Sintab ingressou com oficio à autoridades responsáveis das secretaria de Finanças e ao Gabinete do Prefeito. Caso não haja resposta, ingressará com uma ação junto ao Ministério Público. Sobre as horas-extras das merendeiras, ficou decidido que em relação ao Programa Mais Educação, quando for o caso, a prefeitura irá pagar o expediente excedido.

A Assembleia finalizou com uma fala do vereador e diretor do Sintab Napoleão Maracajá sobre o desmonte do estado brasileiro que está sendo promovido pela PEC 55 e a reforma do Ensino Médio, que pretende castrar o pensamento no ambiente escolar. Conclamou a participação de todos no dia 12 de dezembro, em frente ao Gabinete do Prefeito, para pressionar os poderes públicos pelo ajustamento do Fundeb.

Por fim, os servidores saíram em caminhada pelo centro da cidade até a praça da bandeira, onde estava concentrado o ato público da paralisação nacional promovido por outras centrais sindicais. Com palavras de ordem contra a PEC 55 e o governo golpista e corrupto que tomou de assalto poder, centenas de manifestantes deixaram claro que não vão permitir que nenhum direito a menos seja retirado do povo brasileiro. Confira todas as imagens da Assembleia, clicando aqui. Para mais informações, entre em contato pelo fone: 3341-3178, e-mail: ascomsintab2015@gmail.com ou através da rede social na página do Sintab.

paralisacao-nacional-011
Sintab

Print Friendly, PDF & Email

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios