CMJP realiza debate sobre o Plano Diretor de Mobilidade Urbana

No mês de fevereiro de 2020, a Secretaria Executiva de Mobilidade Urbana (Semob-JP) pretende apresentar o novo Plano de Mobilidade Urbana da microrregião da Capital paraibana. O anúncio foi feito pelo superintendente da Semob, Adalberto Alves Araújo, na sessão especial que aconteceu na Câmara municipal de João Pessoa (CMJP).

Adalberto Araújo revelou, ainda, que no dia 11 deste mês haverá uma audiência pública para apresentação de pesquisa de amostra, envolvendo 12 mil domicílios, e nela será exposto um diagnóstico sobre vários quesitos, como rota de tráfego e tipo de transporte utilizado nas cidades de João Pessoa, Cabedelo, Santa Rita, Bayeux, Conde e Lucena, da Região Metropolitana. O evento vai acontecer no auditório do Ministério Público Estadual da Paraíba (MPPB). Segundo ele, no dia 17 vai acontecer um workshop no Hotel Tambaú para que as entidades ligadas à mobilidade urbana, especialistas da área, sociedade e técnicos da Prefeitura de João Pessoa possam apresentar sugestões para a construção do Plano.

A sessão aconteceu no âmbito da Frente Parlamentar de Mobilidade Urbana da CMJP e foi proposta pelo vereador Tibério Limeira (PSB). Além de Tibério e do dirigente Adalberto Araújo, também participaram o vereador Marcos Henriques (PT); o vice-presidente do Conselho Estadual do Direito da Pessoa com Deficiência, Hellosman de Oliveira Silva; o psicólogo Ricácio Cruz, integrante do Conselho Estadual de Trânsito; o presidente do Instituto de Arquitetos do Brasil na Paraíba, Pedro Rossi, e a representante do MoviCidades e do Instituto Somos Brasil na Paraíba, Karine Oliveira.

Apesar de reconhecer o empenho do superintendente Adalberto Araújo, o vereador Tibério não poupou críticas ao atraso na elaboração do novo Plano de Mobilidade Urbana. O parlamentar lembrou que o assunto vem sendo debatido desde 2007 com a criação da Frente Parlamentar. Ele defendeu que o Plano de Mobilidade seja realizado em sintonia com os Planos Diretor e de Cidades Emergentes Sustentáveis.

Tibério ainda propôs que o vereador Marcos Henriques, como presidente da Comissão de Políticas Públicas, realize audiências públicas para discutir a ideia com entidades interessadas no assunto. Por sua vez, o petista avaliou que João Pessoa, enquanto grande centro urbano, está chegando à casa de um milhão de habitantes e necessita, com urgência, de mais espaço para o trânsito e de outras vias para deslocamento das pessoas. Marcos criticou também a prestação dos serviços dos transportes públicos.

Representantes de Conselho e Entidades destacam importância do Plano de Mobilidade e cobram agilidade

O vice-presidente do Conselho Estadual do Direito da Pessoa com Deficiência, Hellosman de Oliveira, entende que a proposta é fundamental e lembrou que no Estado existem 180 mil pessoas com algum tipo de deficiência ou mobilidade reduzida. Ele reforçou o compromisso do Conselho com a luta do segmento. Como membro do Conselho Regional de Psicologia (CRP), integrante do Conselho Estadual de Trânsito, Ricácio Cruz reconheceu que a Semob vem tomando, dentro da medida do possível, algumas providências para diminuir problemas de mobilidade na Capital.

O arquiteto Pedro Rossi lembrou que existe uma luta dos arquitetos e urbanistas pela inclusão social de modais como ciclovias utilizadas para prática de esporte e no trajeto para o trabalho. Rossi destacou a ciclofaixa no bairro de Manaíra como sendo uma grande conquista da classe. Para ele, existem outros espaços na Cidade que precisam ter esse modal. A representante do MoviCidades e Somos Brasil, Karine Oliveira, cobrou mais transparência na elaboração do novo Plano de Mobilidade e nas informações sobre as pesquisas domiciliares. Ela acrescentou que as entidades e sociedade precisam saber quanto está sendo investido no processo e o cronograma de trabalho.

Semob justifica atraso na elaboração do plano e ressalta importância do debate

O superintendente da Semob, Adalberto de Araújo, informou que em junho deste ano teve que notificar o consórcio que vinha construindo e apresentando o Plano de Mobilidade. Segundo ele, as etapas aprovadas eram disponibilizadas no site da Transparência da Prefeitura Municipal. Adalberto reforçou ter enfatizado aos técnicos do consórcio que se o plano não fosse apresentado dentro do prazo, o contrato seria cancelado.

O dirigente revelou que em julho foi decidido pela prorrogação do contrato com o estabelecimento de um cronograma de trabalho. “A conclusão do projeto foi prorrogada até o dia 22 de fevereiro do próximo ano. A equipe, agora, é muito boa”, comentou Araújo, acrescentando que todos vão ter um produto de qualidade.

Questionado pelos participantes sobre a situação dos transportes públicos, Adalberto reconheceu que há problemas que precisam ser resolvidos e observou que a população é quem banca os gastos do sistemas. Ele sugeriu a implantação de um sistema de ciclovias com rotas que estejam interligadas ao transporte coletivo.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


^ Ir Para Topo ^