Manchetes

Governo espera que Congresso aprove privatização da Eletrobras até maio

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, disse que espera ter a privatização da Eletrobras aprovada no Congresso Nacional no próximo mês. A expectativa, segundo ele, é que até o fim do ano a venda da estatal possa ocorrer. Marun participou de reunião com o presidente Michel Temer e parlamentares da base aliada. O ministro disse aos parlamentares que é necessária a edição de um dispositivo que garanta a continuação dos estudos para a capitalização da empresa. Segundo ele, continua sem definição se será um decreto, portaria ou outro tipo de documento.

“Teríamos ainda este ano um reforço no caixa do governo e isso é positivo. Mas a principal questão é o fato que no ano que vem a capitalização da Eletrobras será necessária. E se não abrirmos essa capitalização à iniciativa privada quem vai ter que fazer é o governo, o que significa menos dinheiro para a educação, para a saúde, para a segurança pública”, disse.

Questionado se durante a reunião os aliados demonstraram resistência em aprovar a venda da empresa, Marun respondeu que: “Não vejo nesse momento maiores dificuldades em relação a isso. Até porque não vejo impactos eleitorais”.

Apesar de o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não ter participado do encontro, o ministro disse que ele entende as razões do governo em relação à Eletrobras. “Tenho certeza que Maia é favorável a essa capitalização”.

Reoneração da Folha de Pagamentos

O projeto de reoneração da folha de pagamento também foi tratado na reunião com os deputados. Segundo Marun, a disposição do governo é de que não há mais espaço para protelar compromissos previdenciários como forma de estímulo para atividades da economia. “Temos que fazer com que esse processo de reoneração se inicie ainda neste ano”, disse.

Print Friendly, PDF & Email

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios