Educação

Jô Oliveira apresenta pedido de audiência pública para discutir volta às aulas

Diante da atual discussão sobre o retorno das aulas presenciais no município de Campina Grande, e com a deflagração de greve por parte dos profissionais da educação, a vereadora Jô Oliveira apresentou requerimento à Câmara Municipal para que seja feita uma audiência pública para discutir a questão. O pedido foi aprovado, com voto unânime dos parlamentares presentes.

Os servidores municipais da educação deflagraram greve no dia 01 de fevereiro, após decisão unânime tomada em assembleia virtual realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste e Borborema (Sintab). A categoria tomou essa deliberação por acreditar que este não é o momento para o retorno às aulas presenciais, mesmo que seja de forma híbrida.

Além desse motivo, os servidores também apontam como reivindicações, o não pagamento do 14º salário da educação; o não cumprimento das progressões; atrasos na recarga do cartão de passagem e a falta de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Também citam a falta de uma proposta para a melhoria das aulas remotas, que segundo os profissionais, aconteceu de forma deficitária em 2020.

A vereadora Jô Oliveira, compreende como legítimo e constitucional o direito à greve dos servidores, bem como a reivindicação desses profissionais de apenas retornarem às suas atividades presenciais após serem incluídos na 1ª fase do plano municipal de imunização; além da necessidade de que a gestão possa garantir aos profissionais e alunos, condições concretas para a realização eficaz das aulas remotas.

Assim, para que se possa dialogar e encontrar soluções possíveis, foi proposta pela parlamentar a realização de uma audiência pública, reforçando pedido que já havia sido feito pelo Sintab.

“A ideia é que possamos fazer um debate com as categorias envolvidas, com os e as profissionais da educação, para ouvir suas demandas e reivindicações, e para que a gente possa encontrar a melhor forma para que haja o retorno às aulas; quer seja de forma presencial, remota ou híbrida, mas que encontremos o melhor caminho para profissionais, alunos e alunas, e que seja um processo dialogado e construído coletivamente”, destacou.

O tema do retorno às aulas na rede pública do município, já vem sendo bastante discutido e citado nas falas dos vereadores da Casa de Félix Araújo, por isso, trazer os servidores para a discussão seria uma forma de encontrar saídas para a questão, que se torna urgente, uma vez que a volta às aulas estava inicialmente prevista para este mês de fevereiro. 

Print Friendly, PDF & Email

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios