Quinta-Feira, 19 de Setembro de 2019

Márcio: Estado deixa a omissão e anuncia que vai ajudar o Hospital da FAP

O vereador Márcio Melo Rodrigues, de Campina Grande, afirmou hoje que vê com satisfação que, finalmente o Governo do Estado deixa a omissão de lado e vai ajudar nas atividades do Hospital da FAP na Rainha da Borborema, da mesma forma como está fazendo com o Hospital Napoleão Laureano, de João Pessoa. Nos últimos dias, ele tem cobrado isonomia no tratamento nas instituições, e se anuncia para breve o merecido apoio à instituição campinense.

O parlamentar disse que é indispensável que o mesmo tratamento dado pelo Governo do Estado, por prefeitos de vários Municípios, deputados estaduais e outras autoridades ao Hospital Napoleão Laureano de João Pessoa aconteça igualmente para o Hospital da FAP, neste Município, que realiza idêntico trabalho em favor da população da Paraíba e de Estados vizinhos.

O Governo do Estado autorizou o repasse de R$ 4,2 milhões por ano para Hospital Napoleão Laureano. O hospital filantrópico, localizado em João Pessoa, é referência em oncologia e dedica 95% dos seus atendimentos aos usuários do SUS. O convênio repassará R$ 350 mil por mês.

Na Assembleia Legislativa todos os parlamentares e servidores vão abraçar a causa do Laureano, já que a unidade de saúde vem se sustentando apenas com R$ 4 milhões mensais, mesmo com uma despesa de R$ 5,5 milhões. Os parlamentares contribuem mensalmente com o Hospital e a ALPB irá ampliar essa ajuda. Foi aprovado o Projeto de Resolução 106/2019, que institui o Programa de Incentivo a Doação Voluntária de Percentual sobre Subsídios e os deputados irão doar 1,2% dos seus salários para o Laureano.

De 2015 a 2018 o Hospital Napoleão Laureano realizou 667 mil atendimentos ambulatoriais, 20 mil internações, 21 mil cirurgias, 137 mil sessões de quimioterapia, 681 mil sessões de radioterapia e 91 mil exames de diagnósticos por imagem. O saldo negativo atualmente na unidade é de R$ 2,6 milhões e recebendo apenas R$ 4 milhões.

A FAP, em Campina Grande, está também passando por enormes dificuldades como o a unidade da capital, com a defasagem de preços da Tabela SUS, sem reajuste a mais de 10 anos, provocando déficit para a Fundação em atividades importantes para a população, particularmente nos procedimentos de baixa e média complexidade, como obstetrícia.

A Fundação Assistencial da Paraíba – FAP – foi fundada no ano de 1965 pelo médico holandês Cornélius de Ruyter, sendo uma associação destinada a dar assistência médico-hospitalar para crianças carentes e colaborar com programas de medicina preventiva, ensino médico e de enfermagem, sempre buscando uma maior capacidade de assistência e ampliação. Hoje em dia é uma referência em oncologia no interior do Estado – mais de 50% dos pacientes oncológicos atendidos são de fora de Campina Grande – e está em processo de reclassificação de seu Hospital de UNACON – Unidade de Cancerologia – para CACON – Centro de Cancerologia – deverá haver todo um reposicionamento de suas atividades, passando a concentrar seus esforços em oncologia.

A instituição realizou 72.000 sessões de radioterapia, mais de 18.000 sessões de quimioterapia e mais de 24.000 sessões de hemodiálise em 2018.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


^ Ir Para Topo ^