HOME_______________________________________________

Ministério libera da subvenção dos canavieiros

O Ministério da Agricultura finalizou, essa semana, os trâmites burocráticos para autorizar o pagamento de R$ 50 milhões em subvenção econômica para os produtores de cana-de-açúcar do Nordeste, referente a safra 2011/2012.  A maior parcela dos produtores recebeu o benefício, que equivale a R$ 12,00 por tonelada de cana, até o limite de 10 mil toneladas por produtor, em 2013 e no começo de 2014, mas outra parte ficou sem receber o recurso porque faltou dinheiro orçado para tal fim. Alguns produtores, inclusive da Paraíba, estão aguardando o dinheiro desde o ano passado, quando a presidente Dilma Rousseff anunciou a subvenção durante visita à Recife.

Os produtores de Pernambuco e de Alagoas são os que mais têm recursos a receber da subvenção. Cerca de R$ 25 milhões e R$ 10 milhões, respectivamente. Para os canavieiros baianos falta o governo repassar R$ 4 milhões, mais R$ 1 milhão para os produtores da Paraíba, R$ 952 mil para os cearenses, R$ 263 mil aos maranhenses e ainda R$ 168 mil para os produtores do Rio Grande do Norte e mais R$ 160 mil aos piauienses.

A autorização do pagamento, segundo o presidente da União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida), Alexandre Lima, já foi encaminhada para a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). No entanto, a Conab pode demorar até 15 dias para fazer os pagamentos. “Estarei indo para Brasília na próxima semana, para tentar diminuir este tempo”, diz Alexandre que vai permanecer na capital federal também  para participar, como palestrante,  de uma audiência pública no Congresso Nacional, para falar sobre a relevância da manutenção do programa de subvenção para equalização dos custos de produção dos canavieiros nordestinos em comparação aos  produtores do Sul/Sudeste que tem um custo bem menor que os da região Nordeste.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja online a situação da Pandemia

^ Ir Para Topo ^