Governo diz que atendeu reivindicações da Marcha dos Prefeitos

O governo federal atendeu as principais reivindicações feitas pelos prefeitos durante a 16a Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, ocorrida ente 9 e 11 de  julho.

Sobre a necessidade de caixa das prefeituras, foi anunciada, pela presidenta Dilma Rousseff, uma ajuda financeira no total de R$ 3  bilhões, com liberação da primeira parcela em agosto de 2013, destacou  na quinta-feira (18), a ministra-chefe da Secretaria de Relações  Institucionais, Ideli Salvatti, no programa semanal de rádio Bom Dia  Ministro.

Segundo a ministra, esta ajuda atenderá às necessidades mais  imediatas de ajuste de caixa dos municípios. Ideli Salvatti destacou que o total de anúncios feitos foi da ordem de R$ 20,4 bilhões, destinados  para a Saúde, Educação, Habitação (Minha Casa Minha Vida) e ao Apoio à  Gestão Municipal.

Ideli lembrou que presidenta Dilma também firmou o compromisso de  receber três a quatro vezes por ano a representação dos municípios  brasileiros. Foram firmadas outras parcerias importantes, como o apoio  na aprovação de matérias importantes no Congresso Nacional e a retomada o conselho de assuntos federativos para promover uma evolução dos pleitos e das necessidades dos prefeitos.

Brasileiros são prioridade para o Mais Médicos

Sobre o Programa Mais Médicos, Ideli reafirmou que a prioridade de  contratação é para médicos brasileiros formados no Brasil e em segundo  lugar para médicos brasileiros formados no exterior.  Apenas se as vagas não forem preenchidas a seleção será aberta para médicos estrangeiros.

“Nós temos 700 municípios no Brasil que não têm um único médico para  atender a população. Não estamos tirando um único emprego, nem a  oportunidade, nem a possibilidade dos médicos brasileiros poderem ocupar todas as 10 mil vagas que serão contratadas. Nós já temos, até ontem,  11.701 médicos inscritos para as 10 mil vagas. Então não me parece que é um problema de falta de médico, é um problema inclusive de disposição  desses médicos irem para esses lugares”, considerou a ministra.

Ideli Salvatti esclareceu que, nos últimos cinco anos, houve um  crescimento de 13% na formação de médicos no Brasil, enquanto o  investimento em equipamentos de saúde cresceu 72%, indicando que o  Ministério da Saúde tem priorizado a disponibilização de equipamentos, a criação de unidades básicas de saúde, de pronto atendimento e de  hospitais.

Sobre o boato de que estaria havendo inscrição em massa de médicos e  uma posterior desistência em massa, a ministra informou que a Polícia  Federal vai investigar a informação.

“O ministério pediu a ajuda da PF para investigar. A gente espera  sinceramente que isso não seja verdade.

A população dos municípios mais  longínquos, a população da periferia precisa do atendimento médico. Nós  temos em média 1,8 médicos para cada mil habitantes, quando na Argentina é 3,2. Há países que chegam a 4 médicos. Então estão as vagas abertas,  na falta de brasileiros, que se não se dispuserem a ir, a gente poder  trazer médicos estrangeiros.”

O edital de inscrição dos médicos e das prefeituras está aberto até o próximo dia 25. A previsão é de que os médicos contratados pelo  Programa comecem a assumir seus postos a partir do final de setembro.  “Eu não diria que é para já, é para ontem. Este programa tem como  objetivo suprir esta lacuna enquanto vamos formando mais médicos”,  afirmou a ministra.

Portal Planalto

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

^ Ir Para Topo ^