Quarta-Feira, 24 de Abril de 2019

Projeto cria o “Banco da Cultura”

Campina Grande ganhará dentro em breve o “Banco da Cultura”, numa iniciativa do vereador Nelson Gomes que apresentou projeto de lei nesse sentido na Câmara Municipal de Campina Grande, aprovado por unanimidade pelo Poder Legislativo.

O “Banco da Cultura” promoverá a disseminação do conhecimento através da doação e recebimento de livros e coleta voluntária de enciclopédias, revistas e CD-ROM novos ou usados, em bom estado de conservação, que serão redistribuídos à população carente através de critérios posteriormente definidos pelo órgão competente.

As doações poderão ser feitas por pessoas físicas ou jurídicas, que depositarão os livros em locais disponíveis nas escolas publicas e demais locais a serem definidos pela Secretaria Municipal de Educação.

Nelson destaca a necessidade de por a disposição elementos para incentivar a disseminação da educação e cultura

O Banco funcionará em local de amplo acesso e fácil visualização, sob a coordenação da Secretaria Municipal de Educação, que fará a classificação dos objetos doados para posterior utilização.

Os doadores de livros, enciclopédias, revistas ou CD-ROM serão agraciados com o Certificado “Amigo da Cultura”, confeccionado e expedido pela Secretaria Municipal da Educação.

O Município promoverá campanhas com o objetivo de incentivar a coleta e/ou doação de livros e outros equipamentos previstos nesta Lei, mediante divulgação junto aos meios de comunicação local, ao menos duas vezes por ano.

Campina Grande poderá contar com a participação de entidades civis e governamentais que desenvolvam ações na área social objetivando a implementação do Banco.

Nelson destacou que “propomos a criação de um “Banco da Cultura” no município de Campina Grande contemplado o conjunto da sociedade e, principalmente os mais carentes”.

O “Banco da Cultura” tem por finalidade a disseminação do conhecimento através da coleta e/ou doação de livros e voluntária de enciclopédias, revistas e CD-ROM novos ou usados, em bom estado de conservação, que serão redistribuídos à população carente através de critérios posteriormente definidos pelo órgão competente.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

^ Ir Para Topo ^