Terça-Feira, 19 de Junho de 2018

Saúde divulga novo boletim da gripe (influenza)

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou novo boletim da gripe (influenza), referente ao período de 1º de janeiro a 23 de maio deste ano (1ª até 20ª Semana Epidemiológica), com recomendações para os profissionais de saúde e a população em geral para que intensifiquem as medidas e ações de controle para evitar a transmissão da doença.
De acordo com o boletim, foram notificados na Vigilância Universal para Influenza 154 casos para Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), dos quais 12 foram confirmados para influenza sazonal, sendo três para o agente etiológico influenza A do subtipo H3N2; seis influenza A do subtipo H1N1pdm09 e três para Influenza B. Para outros agentes etiológicos foram confirmados 19 casos, sendo um para Metapneumovírus; um Vírus Sincicial e 17 como SRAG não especificadas; 40,2% (62) descartada a presença do vírus de influenza e os demais seguem em investigação.
Quanto aos óbitos, são 25 casos suspeitos de SRAG, sendo um com identificação viral para influenza A H3N2 (João Pessoa); quatro para H1N1pdm09 (Cabedelo, Cachoeira dos Índios, Pedras de Fogo e Serraria) e 15 foram descartados para o agente etiológico de influenza. Cinco óbitos seguem em investigação.
Recomendações para a população em geral
Recomenda-se lavar as mãos com água e sabão, especialmente antes das refeições
Ao tossir ou espirrar, cobrir a boca e o nariz com lenço descartável ou com o braço
Não compartilhar alimentos, copos, toalhas e objetos de uso pessoal
Não levar as mãos sujas aos olhos, nariz e boca
Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais/sintomas de gripe e utilizar álcool em gel quando não puder lavar as mãos.
Recomendações para os profissionais de saúde
Devem orientar todos os pacientes com síndrome gripal para retornar ao serviço de saúde em caso de piora do quadro clínico
Realizar classificação de risco e manejo clínico adequado seguindo o preconizado pelo Ministério da Saúde
Monitorar todos os casos com sintomas de SRAG internos e em UTI
Nos casos de surtos, a vigilância epidemiológica local deverá ser prontamente notificada/informada, como também a SES
Realizar ações voltadas para Educação em Saúde com as instituições e comunidades em que atuam, de forma que cada indivíduo tenha conhecimento sobre as principais medidas de precaução e controle de infecção.
PortalCorreio

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

^ Ir Para Topo ^