Segunda-Feira, 23 de Julho de 2018

Transposição deve ser retomada no eixo norte

O ministro da Integração Nacional, Antônio de Pádua de Deus Andrade, entregou ao procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico Ferraz da Nóbrega Filho, cópia do contrato e da ordem de serviço que foram assinados com a nova empresa responsável pela realização das obras do eixo norte da Transposição do Rio São Francisco, que vai beneficiar o sertão da Paraíba. Com isso os trabalhos devem ser retomados imediatamente.

A entrega foi feita durante reunião promovida pelo Ministério Público da Paraíba (MPPB), na sede da Procuradoria-Geral de Justiça, em João Pessoa, com órgãos técnicos e governamentais para discutir o andamento das obras da transposição.

A reunião foi presidida pelo PGJ e contou com a participação dos procuradores de Justiça Francisco Sagres, Álvaro Gadelha, Janete Ismael e José Roseno Neto e dos promotores de Justiça, Raniere Dantas (coordenador do Centro de Apoio Operacional às promotorias de Justiça do Meio Ambiente, Saúde e Consumidor), Alcides Amorim e Francisco Bergson (presidente da Associação Paraibana do Ministério Público). Também participaram a procuradora da República, Janaina Andrade, que representou o MPF; o procurador-chefe do Ministério Público do Trabalho na Paraíba, Carlos Eduardo Lima.

Estiveram presentes à reunião representantes do Departamento Nacional de Obras contra a Seca (Dnocs), da Advocacia-Geral da União (AGU), Defesa Civil, do Legislativo Federal e Estadual, da Secretaria de Recursos Hídricos da Paraíba e da Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa).

Seraphico enfatizou a atuação integrada entre os ramos do Ministério Público, na Paraíba e falou do empenho da instituição ministerial para que as obras da transposição sejam concluídas. Falou também da parceria exitosa que foi realizada entre o MPPB e o Ministério da Integração para cobrar dos municípios da região de Monteiro as obras de saneamento necessárias para viabilizar a conclusão do eixo leste da transposição.

A transposição

Segundo o ministro da Integração Nacional, foi necessário contratar nova empresa para retomar as obras do eixo norte da transposição porque a anterior desistiu do contrato por dificuldades financeiras. O novo contrato no valor de R$ 500 milhões foi assinado com o consórcio Ferreira Guedes – Toniolo, Busnello.

Na reunião, o ministro destacou a relação de respeito e a parceria existente entre o Ministério da Integração e os Ministérios Públicos Estadual e Federal, na Paraíba. Ele e sua equipe informaram o estágio da transposição e explicaram as complexidades técnicas, jurídicas, administrativas e estruturais da obra.

Também foram apresentados e discutidos os entraves, como o baixo volume de alguns reservatórios, a necessidade de obras de saneamento básico nos municípios, os estudos socioambientais e licenças ambientais.

Eixo Norte

O eixo norte da transposição começa no município de Cobrobó, em Pernambuco, onde ocorre a captação das águas do Rio São Francisco. De lá, o rio atravessa 260 quilômetros para beneficiar as populações de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte. Em solo paraibano, as obras desse trecho passam pelos municípios de Monte Horebe, São José de Piranhas e Cajazeiras.

Segundo Antônio de Pádua, 96% das obras desse eixo já foram finalizadas e a partir de agora, será dado ritmo acelerado ao trabalho. A meta é que a última estação elevatória seja concluída em junho deste ano.

A entrega do eixo norte da transposição do Rio São Francisco vai garantir a segurança hídrica a mais de 7 milhões de pessoas de 223 municípios localizados nesses quatro estados nordestinos.

Eixo leste
O eixo leste da transposição foi inaugurado em março de 2017 e com isso, foi possível superar o colapso no abastecimento que atingia a região de Monteiro e Campina Grande, devido ao baixo nível do açude Boqueirão.

Segundo o Ministério da Integração, mais de um milhão de pessoas em 33 municípios da Paraíba e de Pernambuco foram beneficiados com essa obra.

O ministro informou que o eixo leste está operacional, mas que devido às obras nos açudes de Poções e Camalaú, o fornecimento de água teve que ser suspenso. “A previsão é que as obras nos reservatórios sejam concluídas em setembro”, disse.
MPPB

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

^ Ir Para Topo ^