Governo aumenta a vazão na Transposição do São Francisco

Com um ganho de 14 centímetros nos últimos três dias, o açude Epitácio Pessoa, em Boqueirão, conta com mais uma novidade anunciada ontem: o aumento da vazão da água da Transposição do Rio São Francisco, vinda para o reservatório através do Rio Paraíba. Em Monteiro, na nascente do rio paraibano, a vazão passou de 3,78 metros cúbicos por segundo (m³/s) para 4,21 m³/s e deve continuar em crescimento nos próximos dias.

De acordo com o MIN, a medida já havia sido anunciada anteriormente pelo secretário de Infraestrutura Hídrica, Antônio de Pádua, na última quinta-feira.

O MIN havia prometido chegar a 6 m³/s para que a Paraíba pudesse dividir a água com o estado de Pernambuco. Segundo a assessoria do MIN, o Eixo Leste do Projeto ampliou o volume de água do São Francisco no leito do Rio Paraíba, através do funcionamento simultâneo de mais bombas das seis estações elevatórias do eixo. Até então, a obra funcionava no que se chama de pré-operação, medida emergencial para abastecer Campina Grande e as outras 18 cidades dependentes do açude de Boqueirão.

O presidente da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), João Fernandes, acredita que esta seja a explicação para o fato.

“A boa notícia anima bastante e deve continuar assim. Não foi feito qualquer aviso, apenas tivemos acesso às informações, mas devemos estar caminhando para a vazão prometida. São 12 bombas, no total. Não sabemos quantas delas estão funcionando, só que aumentou esse número e que deve aumentar ainda mais”, falou o presidente.

A chegada em Monteiro estava comumente acontecendo em uma média de 2,8 m3/s, o que significava menos de 30% do número anunciado pelo MIN quando iniciadas as obras da Transposição. Como estas obras ainda não foram entregues por completo, o Ministério vinha dizendo que só poderia cumprir o anúncio no fim dos trabalhos de construção.

“Quem dá segurança à população é a Transposição, o resto é acessório. Choveu bastante da região e isso fez subir a lâmina de água, mas podemos dizer que estamos sendo abastecidos pelo Rio São Francisco”, comentou João Fernandes.

Sem precipitação. A chuva fez subir os 14 centímetros da lâmina. O manancial chegou ontem aos 10% de sua capacidade, mas Boqueirão e sua região não têm mais previsão de índices pluviométricos até o dia 25.

A previsão da Agência Executiva de Gestão das Águas coloca o manancial novamente na dependência da Transposição do Rio São Francisco, às vésperas de iniciar um grande movimento turístico em Campina Grande, devido aos eventos religiosos realizados durante o período de Carnaval na cidade.

De acordo com a meteorologista da Agência, Marle Bandeira, serão dias sem chuvas na região.
Correio da Paraíba

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

^ Ir Para Topo ^