HOME_______________________________________________

Conselho de Segurança enviará carta aberta ao governador

O presidente do Conselho de Segurança de Campina Grande, Anchieta Bernardino, falou sobre a divulgação de uma carta aberta direcionada ao governador Ricardo Coutinho.

Ele explicou que o papel do Conselho é denunciar insegurança. Anchieta contou que na penúltima reunião realizada pelo Conselho, a representante do Sindicato Rural destacou as 12 modalidades de assaltos na cidade de Boa Vista, na Paraíba.

Bernardino falou que as polícias participam das reuniões, mas elas são comandadas pelo governo.

– Quem tem o mandato é o governador, a população o elegeu, ele não é mandão, ele tem mandato. Ele (Ricardo Coutinho) por sua competência chamou representantes porque o secretário de Segurança é o governador na segurança, o comandante-geral da polícia é o governador no comando geral das polícias. O mandato não é de nenhum secretário, o secretário é o representante daquele mandatário que recebeu da população o voto. Nem responderam. Nós tivemos o cuidado de ir ao gabinete da secretaria e ao gabinete do comando pedir a identificação se a pessoa que estava recebendo era competente para receber (convite) porque podia depois dizer que ninguém sabia. Nós estávamos construindo a não resposta dela, que é a carta aberta. Isso foi feito dentro do Conselho e nas três reuniões foram discutidos todos esses temas que estão na carta aberta – esclareceu.

O presidente do Conselho falou que Campina Grande tem o menor contingente da polícia da história. Cerca de 600 homens realizam a segurança dos cidadãos na Rainha da Borborema.

– Essa semana é a carta aberta ao governo do Estado, essa semana é a carta aberta à bancada federal da Paraíba. Até quinta-feira nós deveremos estar protocolando e, hoje é muito fácil de protocolar porque as redes sociais protocolam, e nós vamos protocolar nominalmente a cada representante da Paraíba. Isso foi construído dentro do Conselho e os juízes, promotores e as polícias dizendo as dificuldades que têm de operar com as leis que são frouxíssimas. Nós precisamos fazer com que a sociedade conheça os direitos que ela tem – falou.

Anchieta ainda afirmou que não adianta apresentar segurança que está no Rio de Janeiro, nas Olimpíadas, para a Paraíba e nem citar que a segurança dos estados vizinhos está ruim.

– Na semana passada nós tivemos aquele belo exemplo no Bessa, em João Pessoa, o recuo. Se está fazendo recuo, deixa sem nada. Se não é para combater, é melhor se esconder – disse.

Anchieta ressaltou que a população está acuada por causa da insegurança e que negócios da cidade estão sendo afetados.

Ele concluiu alfinetando os representantes da segurança pública do Estado.

– Só dá resposta quem tem resposta. A ausência dessa resposta ficou bem clara, não tem interrogações. Não tem respostas ao que estamos pedindo. Se eu estivesse lá, eu colocaria pelo menos: viram como nós estamos? Nós estamos acuados! Se ficar acuado em determinadas circunstâncias não faz o trabalho. Se está em um cargo e não é oferecida condições para fazê-lo é muito melhor que saia dele. Contracheque sem dignidade é crime. Acho pouco recomendável o que foi feito, todos os dois (secretário de Segurança e comandante da PM) tem bagagem suficiente, técnica e cultural para entender e responder algumas palavras – criticou.

*As informações foram veiculadas na Rádio Campina FM.
Paraibaonline

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja online a situação da Pandemia

^ Ir Para Topo ^