Saúde

Faixa etária de transplante para doença falciforme é ampliada

Antes só podiam fazer o transplante pessoas abaixo de 16 anos. Não havia dados científicos para atestar eficácia do procedimento em outras idades

A idade deixou de ser critério para o transplante de medula óssea para tratamento da doença falciforme. O Ministério da Saúde decidiu ampliar a faixa etária para aumentar as chances de cura e dar mais qualidade de vida às pessoas com essa doença tratadas no Sistema Único de Saúde (SUS). Antes só podiam fazer o transplante pessoas abaixo de 16 anos.

Hereditária

A doença é causada por uma mutação no gene que produz a hemoglobina A (HbA) originando uma outra mutante denominada hemoglobina S. Apesar das particularidades que distinguem as doenças falciformes e de graus variados de gravidade, todas essas doenças têm manifestações clínicas semelhantes e são tratadas da mesma forma.

Sintomas

As pessoas com esse tipo de doença apresentam anemia crônica e episódios frequentes de dor severa. Além disso, apresentam vulnerabilidade a infecções e a síndrome torácica aguda. De acordo com o Ministério da Saúde, foram diagnosticados 1.145 novos casos da doença no Programa de Triagem Neonatal em 2015. A enfermidade atinge principalmente a população negra.

Tratamento

Todos os medicamentos são disponibilizados no SUS. Os que integram a farmácia básica são: ácido fólico, penicilina oral ou injetável, antibióticos, analgésicos e anti-inflamatórios. Já a hidroxiureia, os quelantes de ferro, o doppler transcraniano e transfusões sanguíneas integram a atenção especializada.

O Ministério da Saúde destaca que o Teste do Pezinho é fundamental para a identificação precoce.
Governo do Brasil, com informações do Ministério da Saúde

Print Friendly, PDF & Email

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios