Política

Gervásio se reúne com servidores para debater estratégias contra Reforma Administrativa

O deputado federal Gervásio Maia (PSB) se reuniu com representantes dos servidores públicos da Paraíba para debater os impactos da Reforma Administrativa. O parlamentar ouviu as críticas levantadas pelas associações e sindicatos sobre o texto da PEC 32/2020 e explicou sobre a tramitação da proposta na Câmara dos Deputados.
 
Na ocasião, Gervásio pontuou que a reforma administrativa muda completamente o papel do Estado e concentra poder nas mãos do Executivo. “As mudanças propostas na PEC 32 trarão vulnerabilidade aos atuais e aos futuros servidores”, alertou o parlamentar.
 
A reunião virtual contou com a participação de Suana Melo (ASPOL), Manoel Isidro (Fisco), Gustavo Terto (Sintespb/UEPB), Beethoven Silva (ASPOL), José Helber (ADUEPB), Altamir (servidores judiciário), Tião (CUT), Humberto Pontes (Sindicato dos Peritos), Josean Calixto (Ascal) e Joselito Bandeira Vicente (oficiais de justiça). 
 
Ainda durante o encontro, os representantes dos servidores agradeceram o posicionamento do deputado Gervásio Maia na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara. O parlamentar, que votou contra a admissibilidade PEC 32 na CCJ, tem feito uma forte defesa dos servidores públicos no Congresso Nacional. 
 
Para Manoel Isidro, presidente do Sindifisco-PB, é preciso ampliar o debate sobre PEC e mostrar aos servidores e sociedade o quanto ela é prejudicial. Suana Melo, da ASPOL, reafirmou a fala do presidente do Fisco, ressaltando que a reforma administrativa é mais uma das “falácias do governo Bolsonaro”, assim como foi a reforma da previdência.
 
Sobre a tramitação da PEC 32: Na última quarta-feira (2), O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP), anunciou a criação da comissão especial que vai analisar a reforma administrativa. O colegiado terá 34 membros titulares e igual número de suplentes.

Print Friendly, PDF & Email

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios