Justiça

Gestão de recursos naturais pela OAB é tema de debate

Foz do Iguaçu (PR) – A sustentabilidade hídrica e energética da OAB foi tema de debate no Colégio de Presidentes de Seccionais da entidade, reunido nesta sexta-feira (6) em Foz do Iguaçu, no Paraná. Foram apresentadas as medidas tomadas pelo Conselho Federal da entidade para tornar mais eficiente a gestão destes recursos em seu edifício-sede, em Brasília, gerando economias e redução de custos. A proposta é que as Seccionais também adotem as mudanças. Pode ser criado um Selo OAB Verde para as ações.

O presidente nacional da Ordem, Claudio Lamachia, classificou como essencial a preocupação com os recursos naturais, frisando a responsabilidade social da entidade em ser exemplo. “Com uma gestão responsável conseguimos reduções significativas no consumo e, consequentemente, no custeio da sede da OAB Nacional. O mesmo pode ser replicado em todo o Brasil”, afirmou.

O diretor tesoureiro da OAB, Antonio Oneildo Ferreira, apresentou o projeto desenvolvido pelo Conselho Federal. Segundo ele, as ações buscam a racionalidade, a economia e a transparência na gestão dos recursos, visando otimizá-los. Para a Ordem, o momento atual exige mais do que eficiência, mas uma gestão ativa na prestação de serviços a baixo custo e uso racional de recursos. “Com adoção de medidas em larga escala, de forma progressiva, podemos ter impacto na sociedade, com projeto de sustentabilidade e, assim, propagar as boas ações”, disse.

Oneildo apresentou dados que mostram uma redução de mais de 12% no custeio de água e luz na sede do Conselho Federal. O patamar foi alcançado por meio de mudanças na estrutura do prédio, como a canalização da água do sistema de refrigeração, reuso de água para limpeza de áreas comuns, adoção de sensores de movimento para luz, luzes de LED, entre outras medidas. Também serão instalados painéis de energia solar na cobertura do prédio.

O presidente da OAB do Rio Grande do Norte, Paulo Coutinho, disse que a Seccional que representa também conta com painéis de energia solar, “ganhando não apenas com economia, mas também no impacto social”. A OAB-RN conta ainda com um selo verde para o escritórios do Estado que tenham boas práticas. Segundo ele, isso é ima exigência de diversas empresas ao contratar os serviços de parceiros.

Felipe Santa Cruz, presidente da OAB do Rio de Janeiro, afirmou que é importante para Ordem ter função de vanguarda, ser instituição com política ecológica. “Temos que dar exemplos para sociedade. Precisamos ter canal ativo entre as Seccionais e debater as soluções, que serão diferentes”, disse.

José Augusto de Noronha, presidente da OAB do Paraná, afirmou que a Seccional anfitriã do Colégio de Presidentes está no processo de instalação de um parque eólico que tornará a Ordem autossuficiente em energia elétrica. Segundo ele, o valor investido retornará em seis anos. Após esse período, inclusive, a geração de energia será maior que o necessário, ou seja, a Ordem receberá desconto na conta de luz por estar fornecendo ao sistema.

Print Friendly, PDF & Email

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios