DestaquesNordeste

Integração investe R$ 26 milhões para incentivar a agricultura familiar

Brasília-DF – A produção agrícola da aldeia indígena de Serrote dos Campos, no município de Itacuruba – sertão de Pernambuco – será ampliada e fortalecida com o trator agrícola disponibilizado pelo Ministério da Integração Nacional, por meio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf). Entre 2016 e 2017, foram investidos mais de R$ 26 milhões na agricultura familiar na área de atuação da Companhia, que beneficiaram cerca de 32 mil famílias de agricultores. O incentivo faz parte das ações da Pasta para promover o desenvolvimento regional e reduzir as desigualdades sociais a partir da geração de emprego e renda.

As ações garantiram a estruturação de associações de produtores com 448 equipamentos agrícolas como trator, arado, grade aradora, carreta agrícola, grade niveladora, colhedora de forragens e ensiladeira, além de veículos, como caminhões leves e vans. Também foram implementados 880 kits de irrigação. “Desenvolvimento regional passa por qualidade de vida, por oportunidade de emprego e de renda. A diversidade e a capilaridade das ações da Codevasf têm um olhar atento para lugares em que, muitas vezes, o Estado brasileiro não se faz presente”, ressaltou o ministro da Integração Nacional, Helder Barbalho, em visita a Minas Gerais em julho.

Os estados atendidos com o maquinário foram Minas Gerais, Alagoas, Bahia, Maranhão, Piauí e Sergipe. “Não tínhamos uma máquina para trabalhar. Agora, podemos fazer várias coisas, como arar a terra para melhorar a plantação e transportar madeira para fazer cerca. Antes, tudo era feito com muita dificuldade. Na mão, demorava muito tempo. Com o trator, gasta mais ou menos uma hora para arar cada hectare”, diz Claudimiro Souza dos Santos, presidente da Associação dos Produtores Rurais de Tanquinho, do município de Barra (BA), beneficiada com um trator.

Os kits de irrigação atenderam famílias de produtores de 61 municípios de Bahia, Sergipe e Piauí. Cada um tem capacidade para irrigar uma área de 500 metros quadrados por meio do sistema de gotejamento localizado – considerado um dos mais eficientes em termos de economia de água. São destinados a projetos de assentamento ou comunidades vocacionadas à agricultura familiar, tendo como principal objetivo agregar valor à produção, estruturando associações comunitárias, fortalecendo a agricultura familiar e contribuindo para ampliar a renda das famílias.

Aldeia indígena – A população de Serrote dos Campos, que vive basicamente da produção de mandioca, precisava recorrer aos municípios vizinhos como Floresta e Belém do São Francisco (PE) para realizar os trabalhos agrícolas. “Quando a gente aluga um trator, temos que pagar por hora. Normalmente é cerca de R$ 150 a hora. Só conseguimos alugar quando juntamos alguns produtores pra dividir o custo”, afirma o líder indígena da aldeia, Jorge Pankará.

Agora, sem a necessidade de pagar para usar a máquina, a esperança é que a produção aumente e melhore a vida de toda a comunidade. “Esse trator que a gente está adquirindo com certeza vai mudar totalmente a nossa situação. Além disso, a gente vai poder ajudar os pequenos agricultores do nosso município que têm a mesma dificuldade. A vinda desse equipamento vai ser a coisa mais importante da nossa comunidade”, comemora Pankará.
Ministério da Integração Nacional

Print Friendly, PDF & Email

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios