Prefeito quer entregar 200 unidades habitacionais por mês

prefeitura2015Em entrevista concedida à TV Borborema, o prefeito de Campina Grande, Romero Rodrigues, anunciou que com mais de 200 ruas pavimentadas na cidade, abertura de vias e importantes obras de mobilidade urbana, 4.100 casas sendo construídas, além de novas unidades de saúde próximas de serem entregues à população, o gestor optou por destacar essas e outras importantes conquistas para os campinenses.

Na oportunidade, Romero fez questão de reiterar seu compromisso de entregar, a partir de fevereiro, 200 unidades habitacionais por mês no Complexo Aluízio Campos. No multimodal, uma área de mais de 800 hectares localizada na zona sul e adquirida com recursos próprios da Prefeitura Municipal, praticamente uma nova cidade está construída em parceria com o governo federal.

Além de milhares de novas moradias, o Aluízio Campos vai receber empreendimentos do comércio, indústria, ciência, tecnologia e empresas do setor de logística. Também estão sendo erguidos dois postos de saúde, três creches, duas escolas, duas praças com academia e um Centro de Referência de Assistência Social (Cras), tudo isso acompanhado da infraestrutura necessária (água encanada, energia elétrica, esgotamento sanitário, drenagem, pavimentação e eletrificação).

“O processo de construção do Complexo está intenso. Algumas casas já estão cobertas, outras sendo rebocadas. E além dessas 4.100, nós vamos ampliar o conjunto com mais 1.000 unidades, as quais serão destinadas aos servidores do município, do Estado e da União, pessoas da faixa 2, que ganham mais de R$ 1.600”, detalhou o prefeito.

Sobre a pavimentação de ruas e aberturas de novas vias, dentro da política de mobilidade urbana, Romero lembrou que na semana passada assinou a licitação para implantação de calçamento de 28 ruas no distrito de São José da Mata, além de registrar as dezenas de logradouros pavimentados no Catolé, José Pinheiro, Monte Castelo, Nova Brasília, Vila Cabral de Santa Terezinha e Jardim Atalaia.

Nessas duas últimas localidades, inclusive, a Prefeitura de Campina Grande tem implantado além da pavimentação, a drenagem e o esgotamento sanitário.

“São demandas quase que constantes, e a Prefeitura tem trabalhado com muita intensidade nesse sentido. Tanto é que até hoje, nós já pavimentamos mais de 200 ruas”, pontuou Romero.

Em relação à duplicação da avenida Senador Argemiro de Figueiredo, que liga o giradouro Raimundo Asfora, na entrada da cidade pela BR-230 vindo de João Pessoa, até a Alça Sudoeste, o prefeito de Campina Grande estimou que a obra seja entregue até o final do ano.

“É bom lembrar que em dois anos de nossa gestão, a execução da obra atingiu os 84%. Nos seus cinco primeiros anos, a obra não andou mais do que 16%. Nós pegamos essa obra paralisada há mais de 12 meses. Tivemos que tirar a ferragem daquele primeiro viaduto. E agora a nossa pretensão é de concluir até novembro e implantar uma iluminação especial, sempre com recursos próprios da Prefeitura”, disse, lembrando do exemplo da Avenida Portugal, que liga Bodocongó ao distrito de São José da Mata e já está recebendo 4,2 km de iluminação.

Saúde

Questionado sobre a área de Saúde no município, o prefeito Romero Rodrigues ponderou que “infelizmente, no Brasil, o setor é sub-financiado e tem um custo muito elevado”. Mesmo assim, conforme o gestor, a Prefeitura de Campina Grande tem trabalhado para oferecer um serviço digno à população.

“Apesar de a Secretaria Municipal de Saúde ter perdido cerca de R$ 1,3 milhão, através de uma articulação do Governo do Estado, nós estamos nos esforçando para ampliar as ações do setor. Compramos e municipalizamos o Hospital Pedro I, com equipamento que permitem melhor atendimento para o exames de imagem, municipalizamos o Dr. Edgley, implantamos a Policlínica das Malvinas e vamos entregar, até outubro, o primeiro Centro de Recuperação da Saúde do Trabalhador do Brasil, onde temos até uma piscina térmica, uma obra fantástica e prestes a ser concluída”, enumerou o prefeito.

Até o final do ano também, conforme planejamento anunciado por Romero, a Prefeitura deve entregar uma policlínica para a zona leste da cidade, na rua Pedro da Costa Agra, no bairro do José Pinheiro.

Já o próprio Hospital Pedro I vai receber, em breve, um anexo. É o Centro de Especialidades Médicas, que já está em fase de acabamento e contará com oito consultórios, além de recepção e banheiros.

O novo serviço terá capacidade para oferecer até cinco mil consultas por mês. Inicialmente, serão realizados atendimentos nas especialidades de pneumologia, neurologia, endocrinologia, ortopedia, dermatologia, otorrino e gastroenterologia.
PMCG

Print Friendly, PDF & Email


Veja online a situação da Pandemia

^ Ir Para Topo ^