Presidente pede que CAGEPA fiscalize municípios abastecidos por Boqueirão

cagepa_menorDiante do quadro de insegurança hídrica que Campina Grande vive devido os baixos níveis do Açude Epitácio Pessoa, o presidente da Câmara Municipal de Campina Grande, vereador Antonio Alves Pimentel Filho (PROS), solicitou na tribuna da Casa de Félix Araújo, que a CAGEPA, fiscalize as empresas que exploram o serviço de Laja Jato automotivo, nos municípios que são abastecidos pelo sistema adutor de Boqueirão.

Na tribuna, o vereador Antonio Alves Pimentel Filho destacou que, por determinação e fiscalização do Ministério Público, AESA, CAGEPA e ANA (Agencia Nacional de Aguas), todas as empresas de Lava Jato automotivo de Campina Grande, obedecem integralmente à determinação da Justiça e dos órgãos fiscalizadores em funcionar apenas com a agua extraída por poços artesianos. “Minimamente os Lava Jatos que funcionam nos demais município, também deveriam ser fiscalizados, por todos estes órgãos, a exemplo do que ocorre com as empresas do nosso município”, ressaltou Pimentel.

Segundo o vereador Pimentel Filho, diariamente chegam à Câmara campinense, reclamações oriundas de moradores que residem em diversos municípios abastecidos pela CAGEPA, dando conta de que as empresas e pessoas que exploram os serviços de Lava Jato automotivo, utilizando a agua daquele manancial o que caracteriza desperdício.

Segundo as denúncias recebidas pelo presidente do Poder legislativo campinense os proprietários dos Lava Jatos localizados nestes municípios não respeitam o grave momento de escassez que os mais de 20 municípios estão passando neste momento. Ele destacou, “realizamos nesta Casa, audiências públicas, sessões em conjunto com a Assembleia Legislativa, Sessões Especiais, visitas ao açude de Boqueirão, alertando o desperdício e sugerido alternativas em forma de Lei para auxiliar e amenizar nas consequências da escassez”.

O parlamentar disse que devido às limitações constitucionais, a Câmara Municipal de Campina Grande não pode exercer a fiscalização ou coibir o desperdício nestes municípios, mas, pode solicitar ao Governo do Estado através da CAGEPA que faça cumprir a determinação do Ministério Público e dos demais órgãos fiscalizadores e proíba os desperdícios praticados pelos Lava Jatos automotivos.

“Cumprindo a minha parte enquanto legislador, apresentei diversos projetos e ações para dotar o município de regras e leis, para combater o desperdício e minorar os efeitos da falta de chuva, a exemplo da Lei N° 5.920 que obriga a empresas, fábricas, clubes, hotéis, shoppings condomínios residências dentre outros, que consomem mais de 50.000 (cinquenta mil) litros dia, a ter uma estação de tratamento d’água com sistema de reaproveitamento da agua utilizada,” finalizou o vereador Antônio Alves Pimentel Filho.
CMCG

Print Friendly, PDF & Email


Veja online a situação da Pandemia

^ Ir Para Topo ^