Troféu Gonzagão vai reunir grandes nomes da música

“Eu vi o sol, e a estrela matutina.Vou pra Campina nessa estrada pelo ar…” A “anunciação” é de Alceu Valença. Um dos mais importantes ícones da música contemporânea, cuja presença está confirmada no maior evento da música brasileira, no Nordeste: o Troféu Gonzagão 2015.

Neste ano, em sua VII versão, o Troféu Gonzagão faz um brinde à imortalidade da obra de Rosil Cavalcanti (in memoriam), à genialidade de Alceu Valença e à autenticidade de Os 3 do Nordeste. Homenagem justa para artistas que há mais de 40 anos tiveram seus sucessos consagrados e continuam presentes na cena musical do país.

Conhecido como o “Oscar do Forró”, por reunir mais de 150 artistas, instrumentistas, cineastas, produtores e um público estimado em mais de mil convidados, o evento tem como objetivo a valorização dos artistas que mantém viva a música regional. Desde sua primeira edição, realizada em umas das salas do Centro de Ortodontia Integrado, o projeto foi consolidado há mais de 10 anos, homenageando ícones da música regional com visibilidade local, nacional e internacional. A exemplo de artistas como Dominguinhos, Elba Ramalho, Marinês, Raimundo Fagner, Chico César, Antônio Barros e Cecéu, Adelmário Coelho, Oswaldinho, Targino Gondim, Alcione, Beto Britto, Os Nonatos, Alcymar Monteiro, Pinto do Acordeon,Genival Lacerda, Mestrinho,Adelson Viana, Glorinha Gadelha, Sivuca, Camarão, entre tantos outros.

A partir de 2009, devido ao crescimento exponencial do evento, uma parceria exitosa foi firmada entre o Centro de Ortodontia Integrado e a Federação das Indústrias do Estado da Paraíba – FIEP/PB, através de seu presidente Francisco de Assis Benevides Gadelha, via Projeto SESI Cultura Tradição da Paraíba.

Com o sucesso alcançado a cada ano de realização, mais do que um evento cultural, o Troféu Gonzagão se transformou em um momento de exaltação e agregação de valor a um dos ritmos mais prestigiados do Nordeste: o Forró.

Através do trabalho incansável de seus idealizadores, os ortodentistas Ajalmar Maia e Rilávia Cardoso, o Troféu Gonzagão é uma prova viva que o Forró já ultrapassou “as velhas latadas” e conquistou o status de “Forró Classe A” se destacando em grandes salões, notadamente no Centro de Convenções Francisco Benevides Gadelha, na FIEP e até internacionalmente, sendo levado como bandeira pela nova geração a exemplo de Lucy Alves e Luan Estilizado,respectivamente.

O Troféu Gonzagão demonstra que o forró está mais vivo do que nunca. O fato de não estar em pauta nas grandes mídias, não invalida a força perene de suas raízes. O velho forró tem se renovado e tem muita passarela a sua frente. É como disse o jornalista Assis Ângelo – em conversa com o também jornalista e escritor José Nêummane Pinto – “estamos vivenciando aqui, a retomada da música nordestina com toda força e categoria, a música sai da feira para os grandes palcos”.

Isso mesmo. O forró deixou as velhas latadas e fez da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba o seu palácio. Fato é que, enquanto uma sanfona, um zabumba, um triângulo ecoar, o forró sempre terá seu espaço garantido em todos os salões brasileiros.

Print Friendly, PDF & Email


Veja online a situação da Pandemia

^ Ir Para Topo ^