HOME_______________________________________________

Curso de Comunicação Social da UFCG é reconhecido pelo MEC


O curso de Comunicação Social da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) acaba de ser reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC). O resultado da avaliação, promovida no início deste mês por uma comissão do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacional Anísio Teixeira (Inep), foi divulgado na última semana. A graduação recebeu conceito 4, em uma escala de pontuação que vai de 1 a 5.

“O resultado foi recebido com muita alegria e satisfação, uma vez que este é pautado nos referenciais de qualidade dispostos na legislação vigente e orientações do Ministério da Educação”, declarou o coordenador diurno do curso, Rosildo Brito, ressaltando que é fruto de um “trabalho sério, desafiante e, como foi dito pela própria comissão avaliadora, ousado, tendo em vista se tratar de uma proposta pedagógica inovadora ofertado no Brasil, sendo o primeiro bacharelado do país focado na linha de formação em Educomunicação”.

O curso

O bacharelado em Comunicação Social da UFCG funciona do campus sede, nos turnos diurno e noturno. Foi criado em 2009 e passou a funcionar a partir de 2010, contando com um corpo docente formado por professores com titulação de mestrado e doutorado em Comunicação, Educação e áreas afins. Surgiu em meio à ampliação das demandas de educação da Unidade Acadêmica de Arte e Mídia (UAAMI), que além deste, conta com os cursos de Música e Arte e Mídia.

O curso se destaca como um curso inovador, sendo oo primeiro Bacharelado em Comunicação Social do país com linha de formação em Educomunicação, uma proposta político-pedagógica que vislumbra novos itinerários curriculares dentro da interface comunicação-educação enquanto paradigma transverso no intuito de oferecer uma formação acadêmica voltada a uma práxis que estimule a capacidade de criação e análise critica das mídias e os sistemas comunicacionais.

Perfil do educomunicador

O comunicólogo educomunicador se caracteriza, em síntese, pela capacidade de gerir projetos nas áreas de comunicação-cultura-educação por meio do planejamento, execução e avaliação de planos, programas e projetos de intervenção social no espaço da inter-relação comunicação/cultura/educação quer ocorram contextos educativos formais e não formais; presenciais e/ou à distância, bem como no âmbito das organizações públicas, privadas ou do Terceiro Setor, entre outros.

“Compreendemos a Educomunicação enquanto um novo campo que se abre para o profissional da área de Comunicação Social com o perfil aqui destacado, o qual deverá estar apto a atuar numa sociedade cada vez mais midiatizada e tecnológica, o que torna este mercado de trabalho bastante promissor”, descreve o professor Rosildo Brito.

O educomunicador, explica ele, poderá atuar no planejamento e gestão da comunicação voltada ao uso das tecnologias da informação e das linguagens e sistemas comunicativos em sua dimensão educativa e cidadã em instituições escolares, fundações culturais, empresas privadas com destaque para as emissoras de TV e rádio educativas, órgãos públicos como secretarias de educação e comunicação, organizações não-governamentais, dentre outras.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Veja online a situação da Pandemia

^ Ir Para Topo ^