DestaquesPolicial

Operação ‘Rede do Mal’ desarticula grupo responsável por tráfico

As Forças de Segurança Pública da Paraíba realizaram a ‘Operação Rede do Mal’, na manhã desta quinta-feira (26), na cidade de Guarabira, a fim de reprimir o tráfico de drogas e homicídios na região.

 A ação contou com a participação de policiais civis e militares e bombeiros militares, totalizando um efetivo de 160 homens e mulheres, além de 50 viaturas. Ao todo, 17 pessoas foram presas pelos crimes de tráfico e associação para o tráfico.

De acordo com o delegado da 2ª Superintendência de Polícia Civil, Luciano Soares, as investigações foram iniciadas há três meses e tinham como objetivo desarticular o grupo criminoso que agia no comércio de entorpecentes.

“Foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão e de prisão, contabilizando 17 presos, entre eles uma mulher, três armas de fogo apreendidas, dois coletes balísticos, e ainda dois rádios de comunicação. Também foram retirados de circulação 25 quilos de drogas”, explicou a autoridade policial.
Ele ainda acrescentou que o nome da operação foi escolhido por fazer referência à atividade criminosa desenvolvida pelo grupo.

“Essas pessoas formavam uma rede de relacionamentos para a comercialização da droga e suas ações envolviam também assassinatos daqueles que se colocavam contrários ao avanço dessa rede do tráfico. O objetivo era justamente sair de Guarabira para municípios circunvizinhos”, afirmou.

O comandante do 4º Batalhão de Polícia Militar, coronel Arilson Valério, ressaltou que a Operação Rede do Mal foi desencadeada há dez dias, quando policiais civis e militares da 8ª Área Integrada de Segurança Pública (Aisp) apreenderam 23 quilos de maconha ao interceptarem um casal que vinha do Rio de Janeiro, em um ônibus, e que seria o destinatário da droga.

Todos os presos foram conduzidos para a sede da 8ª Delegacia Seccional, onde foram interrogados e permanecem à disposição do Poder Judiciário. A Polícia vai dar continuidade ao trabalho, a fim de localizar e identificar outras pessoas envolvidas no esquema criminoso.

Print Friendly, PDF & Email

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios